Presidente do Chile decreta estado de emergência após protestos em Santiago

Uncategorized

Santiago foi palco de protestos na sexta-feira contra o aumento de 800 para 830 pesos (equivalente a R$ 4,80) nos bilhetes do metrô no horário de pico. Desde 2010, não havia aumento nessa proporção (3,75%).

Manifestantes foram em massa para as estações de metrô e forçaram a entrada sem pagar, vandalizando o local e enfrentando a polícia. 

A manifestação, a princípio pacífica, acabou em violência pela noite de sexta. Na estação de La Moneda, em frente à sede do governo, dezenas de manifestantes – na maioria jovens – depredaram instalações.

Depois, manifestantes atiraram paus e pedras em direção às forças policiais, que reagiram com o uso de carros de choque, jatos d’água e bombas de gás lacrimogêneo. Proporcional, não é mesmo?

Desde segunda-feira, milhares de pessoas, especialmente estudantes do ensino médio e universitário, têm protestado contra o aumento no preço dos bilhetes de metrô, decretado há duas semanas.

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, decretou estado de emergência na madrugada deste sábado (19) após protestos que tomaram estações de metrô na capital Santiago. As manifestações, que aconteceram contra aumento no preço das passagens, acabaram em violência. Segundo a agência Reuters, 156 policiais ficaram feridos, cinco deles gravemente, 49 carros da polícia foram danificados, 41 estações de metrô foram vandalizadas e 308 pessoas foram detidas. 

Piñera disse que o objetivo da medida é voltar a recuperar a normalidade. “O objetivo deste estado de emergência é muito simples, mas muito profundo: garantir a ordem pública, a tranquilidade dos habitantes da cidade de Santiago, proteger bens públicos e privados e, acima de tudo, garantir os direitos de todos”, falou.

Com o decreto, o governo pode restringir a liberdade de locomoção e reuniões, toque de recolher, repressão contra as manifestações, entre outros. Uma maneira de controle em cima da população, basicamente.

Para não pegar mal, disseram: “No momento, não temos informações que nos obriguem a decretar o toque de recolher”. Ele anunciou, porém, que forças militares começarão a patrulhar a cidade nos “setores mais conflituosos”.

Fonte: G1.

Gostou? Compartilhe!

One thought on “Presidente do Chile decreta estado de emergência após protestos em Santiago”

  1. Vários países tendo manifestações intensas, como Equador, Catalunha (Espanha), HK (China), Líbia e agora o Chile, enquanto isso tem gado esperando youtuber ou sindicato chamar a população nas ruas. Brasileiro é patético, parece que gosta de viver chafurdando na lama!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *