Governo da Venezuela aumenta salário mínimo em 375%

Pílulas Vermelhas

Parabéns aos “especialistas” em economia do governo socialista venezuelano. Assim melhoraram a vida de muitos, só que não! Até onde vai a insanidade dos governos soças? Será pura ignorância ou maldade?

A Venezuela atravessa a maior crise econômica de sua história moderna e inflação nos 9 primeiros meses do ano foi estimada em 3.000% .

O governo de Nicolás Maduro anunciou nesta segunda-feira (14) um aumento de 375% no salário mínimo legal na Venezuela, que passou de 40 mil para 150 mil bolívares por mês, o que equivale a passar de US$ 2,02 para US$ 7,60.

O mesmo aumento dado ao salário mínimo foi aplicado à chamada cesta ticket socialista, o bônus de alimentação de pagamento obrigatório na Venezuela.

“A nova renda mínima para todos os trabalhadores na República Bolivariana da Venezuela foi estabelecida em 300 mil bolívares soberanos, dos quais 150 mil correspondem a salário mínimo e 150 mil à cesta ticket socialista”, declarou o presidente da Comissão de Trabalhadores da Assembleia Nacional Constituinte.

O líder da oposição Juan Guaidó descreveu a medida como “insuficiente” e disse que “é um salário mínimo que ninguém ganha na Venezuela”.

E não faltou quem fizesse piadas e memes nas redes sociais, com razão.

A BBC News Mundo visitou um supermercado em Caracas para ver o que pode ser comprado pelo valor do novo salário mínimo.

Um litro de leite, para mencionar um item amplamente consumido pelas famílias, custava no estabelecimento, localizado em uma área de classe média da cidade, 38 mil bolívares. Um quilo de arroz custava 21 mil bolívares, enquanto o de sal era 18 mil. Melhorou e muito o poder de compra da população, certo?! Agora proteínas são artigos de luxo!

O quilo do frango picado custava 50 mil bolívares, enquanto a dúzia de ovos, 35 mil. Desta forma, se uma pessoa comprar dez pacotes com 12 ovos cada, o salário mensal acaba. Se alguém quer se dar ao luxo de comprar queijo e derivados, as coisas ficam ainda mais complicadas. O único que estava à venda no mercado custava 290 mil bolívares por quilo. Ou seja, um quilo desse queijo consumiria quase toda a renda de um trabalhador que recebe salário mínimo.

Embora muitos funcionários venezuelanos recebam quantias mais altas ou outras remunerações por seus serviços, o salário mínimo segue sendo o que, em muitos casos, trabalhadores do setor privado e funcionários públicos recebem em troca de sua mão-de-obra.

Para lidar com o aumento descontrolado dos preços, tornou-se comum o governo aumentar o salário mínimo, apesar de muitos especialistas alertarem que essa medida só faz engordar a espiral inflacionária. Logo, o aumento se torna um “exercício repetitivo e inútil”.

No atual contexto de hiperinflação, o bolívar se torna cada vez mais escasso. As transações em dólares americanos estão se tornando cada vez mais frequentes na Venezuela, embora o governo não tenha regulamentado seu uso. E precisa? Não! Mas o acesso à moeda tornou-se uma dificuldade adicional para os venezuelanos mais desfavorecidos.

Segundo dados das Nações Unidas, mais de 4 milhões de venezuelanos deixaram o país, no que é considerado “o maior êxodo da história recente da América Latina e do Caribe”, o que dá uma ideia da magnitude da crise no país.

Fontes: BBC, Exame.

Gostou? Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *