INjustiça de SP reduz penas de policial e estudante condenados por torturar comerciante iraniano.

Pílulas Vermelhas

Cão do estado (policial) que torturou comerciante iraniano tem pena reduzida pela quadrinha do Tribunal de INJustiça de São Paulo na semana passada.

Em dezembro de 2015, um policial foi contratado por uma estudante universitária para coagir o comerciante a comprar de volta o tapete que ele havia vendido para a jovem por R$5000. O homem se recusou a realizar a transação, estando em seu direito. Porém o cão (policial) o agrediu com socos e ameaçou com uma pistola enquanto a garota observava.

Apesar do criminoso da polícia civil roubar as câmeras da loja e até mesmo os celulares de quem estava lá na ocasião, a agressão ficou registrada numa câmera que o mesmo deixou para trás. Com esse caso, foi descoberto que o policial já era investigado por outros crimes. Um em 2013, quando duas adolescentes foram baleadas. E em 2015, uma agressão em um posto de combustível.

O meliante foi afastado da polícia, condenado a 11 anos de cadeia e chegou a passar pela prisão mas agora responde em liberdade. Já a estudante mandante do crime foi condenada a 6 anos de prisão, mas nem chegou a ser presa e o destino foi o mesmo: já está em liberdade.

Além de reduzir a pena do agressor, houve a anulação da penalidade do mesmo em não poder receber sua aposentadoria. Agora além de estar solto, o criminoso ainda receberá como investigador aposentado. O crime realmente compensa se você faz parte da máfia estatal.
É o de sempre: Estado protegendo os seus criminosos, mandando e desmandando, criando leis e qualquer tipo de absurdo para salvar a pele de seus capangas.

Fonte: G1.

Gostou? Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *