Universalização: as Alternativas

Artigos

A questão do que é ético ou não, surge porque você admite que haja algo externo a ti, que seja digno das considerações morais.

Para haver a questão ética, você manifestou uma preferência por me considerar um ser moral relevante alheio a si mesmo, a partir do momento em que me considerou um ser moral, diversas possibilidades se manifestaram.

Nesse caso, iremos tratar de uma questão dialética. Você poderia considerar que seus juízos são necessariamente superiores e simplesmente dar ordens ou agir de acordo com seus interesses. Nesse caso, você estaria demonstrando uma preferência por uma ordem moral em que é superior.

Você poderia se submeter aos meus desígnios, obedecendo as minhas vontades e me deixando ser a régua moral do nosso microambiente social, aqui chamado de mundo da vida. Nesse caso, você estaria demonstrando uma preferência por uma ordem moral em que é inferior a mim.

Bem, não é apenas em termos de superioridade ou inferioridade, existe também a neutralidade. A neutralidade pode ser indiferente ou comunicativa. Você pode ser indiferente a quem resolva a questão moral, nesse caso está demonstrando uma preferência pelo estado de coisas alheio, onde a sua própria ponderação moral é irrelevante acerca da problemática ética, sendo relevantes apenas as ponderações alheias.

A todo momento, manifestamos individualmente preferências e que as razões que aplicamos são de ordem praxiológica. A última possibilidade, é a possibilidade em que você acredita que deva existir uma hermenêutica entre a sua ordem moral e a ordem moral alheia, você se considera um ente moral relevante e considera o próximo como um ente moral relevante. Você manifestou preferência por esse estado de coisas.

Você o faz através da argumentação. A argumentação descreve uma preferência que se dá a nível pessoal, a questão ética e todas as ponderações e contradições surgem através não da ação alheia, mas da própria Ao considerar que determinado ente é significante moral, ele jamais poderá ser objeto da significação.

Gostou? Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *